23
abril
2015
Piranha, vagabunda, oferecida… Será?

Olá bonitas e bonitos!

O post de hoje é um pouco fora do foco que venho mantendo aqui no blog… Mas ainda assim irei publicá-lo, afinal de contas, criei este espaço para que EU pudesse expressar livremente minhas ideias e assim farei.

Então vamos do começo! Eu trabalho com adolescentes e uma das coisas que mais ouço é a seguinte: “ela tá dando em cima do meu namorado”, “ela é uma piranha, dá pra todo mundo”… Ouço muitas coisas como essas… Ou coisas piores!!!

Eu vim de uma família liberal, porém não libertina! Sim, existe diferença! Fui criada por meus pais sempre num ambiente de liberdade de expressão, porém sempre sabendo o significado da palavra respeito.

De onde as mulheres acharam de apontar dedos umas às outras??? Quem nos deu esse direito?

Penso o seguinte: cada um é dono de suas próprias escolhas, e nós mulheres estamos inclusas nisso!!! Se a fulana é conhecida como piranha porque ela transa, trepa, faz amor, dá – seja lá qual expressão você usa para isso – esse é um problema (ou uma solução) exclusivamente dela! O corpo pertence a ela!

Quer dizer que o homem que sai por aí pegando todas é o garanhão e a mulher é a piranha???

Oras… Estou em uma fase em que esse tipo de comentário não me afeta mais! Ou melhor, afeta sim!!! Porque eu saio em defesa da fulana! E sim, sou grossa! Digo logo, a fulana tá dando o que teu? Não! Então o que tens a ver com a vida sexual dela? E sim, mulheres tem direito à essa opção, por mais que isso seja chocante nesta sociedade pseudoliberal em que vivemos.

Se posso ensinar algo às novas gerações, é exatamente isso! Vamos parar com essa mania feia de achar que a fulana tem que ser igual a você, ou que a fulana deve ser recatada e aguardar o príncipe encantado!

No alto dos meus 32 anos, posso dizer que eles não existem! Pela vida você vai encontrar muito mais sapos! Aliás, acho os sapos muito mais divertidos do que os príncipes chatinhos e monótonos da Disney! Sou a favor dos sapos!

A você, minha amiga, que tem o hábito de chamar sua vizinha de piranha porque na casa dela é um entra e sai danado de homem… Já tentou ser igual a ela? Talvez, somente talvez, você se divirta um pouquinho mais!!!

Cada um precisa encontrar o seu caminho de felicidade e paz… E tenho certeza de que não o encontrará apontando o dedo para sua amiguinha “piranha”…

Eu poderia ainda escrever outras milhões de coisas… Mas acho bom parar por aqui.. Afinal, não vou gastar todas as minhas munições de uma só vez, não é mesmo!

Um grande beijo e fica a dica! Vamos ser felizes e parar de olhar a grama (ou a cama) da vizinha!

Até a próxima!!!

Comentários desativados em Piranha, vagabunda, oferecida… Será?

Comentários desativados